Pressione parlamentares pela abertura de uma CPI do Banco Central

Compartilhe:

A ACD tem denunciado a ineficácia da elevação absurda da taxa básica de juros Selic para conter a inflação no Brasil. Apesar disso, o Banco Central segue com essa política suicida. A Selic já atingiu 13,75% e novas altas já estão anunciadas, amarrando toda a economia, enquanto bancos comemoram o lucro e a dívida pública explode! Já passou da hora de realizarmos uma CPI do Banco Central e interromper essa política monetária que só favorece o setor financeiro enquanto prejudica todo o país.

Nesse sentido, com base no artigo “Precisamos de uma CPI do Banco Central” a ACD enviou carta a todos os líderes no Congresso Nacional, reivindicando a instalação dessa CPI.

Faça a sua parte! Pressione clicando aqui ou na imagem abaixo e envie agora mesmo para os parlamentares a carta que preparamos para alertá-los sobre esse golpe!

Nossa ferramenta tem melhor funcionamento em smartphones.
Caso não consiga enviar pelo seu computador, tente pelo celular!

————————————————————-

À Sua Excelência,

Deputados(as) Federais e Senadores(as)

Brasília – DF

Assunto: NECESSIDADE DE CPI DO BANCO CENTRAL DO BRASIL

Pela presente, alertamos V. Exa. sobre a necessidade de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do Banco Central do Brasil (BC), conforme carta enviada a V. Exa. pela Auditoria Cidadã da Dívida.

Desde março de 2021, o Banco Central tem disparado a taxa básica de juros Selic, que já acumula 588% de aumento (de 2% ao ano para 13,75%), com indicação de novas altas, todas elas sob a falsa justificativa de conter a inflação.

É público e notório que no Brasil a inflação é produzida sobretudo devido à forte elevação dos preços de combustíveis, em virtude da aplicação do Preço de Paridade de Importação (PPI) pela Petrobras, ou seja, um preço fictício em relação aos verdadeiros custos de produção, que afeta todos os demais preços praticados no país. A inflação decorre também do aumento no preço de alimentos, por causa de graves erros de política agrícola e agrária, além do aumento de outros preços administrados, por outras razões que também não estão atreladas a excesso de demanda, mas a custos, e não são afetados com aumento dos juros.

A elevação da Selic pelo Banco Central tem provocado danos irreparáveis à economia do país e a toda a sociedade, pois induz à elevação de todas as demais taxas de juros praticadas no país, tornando caríssimo o custo do dinheiro e impedindo a sua circulação saudável, amarrando toda a economia, levando inúmeras empresas à falência, aumentando o desemprego, agravando a desindustrialização e gerando atraso socioeconômico. Além disso, a alta da Selic provoca aumento desenfreado da dívida pública e aumenta de forma absurda a transferência de dinheiro do orçamento federal ao setor financeiro, levando bancos a obterem lucros recordes através da remuneração diária em “Operações Compromissadas” e “Depósitos Voluntários Remunerados”, gerando rombo orçamentário e mais aumento da “dívida pública”.

A ausência de fundamento técnico, econômico ou até moral (sim, a moralidade é um dos princípios constitucionais que deve reger todo ato público) para justificar a atitude do Banco Central de disparar a Selic; remunerar régia e sigilosamente a sobra de caixa dos bancos em volumes estratosféricos, e ofertar contratos do questionável swap a sigilosos privilegiados, entre outros obscuros mecanismos de “política monetária”, justifica a instalação urgente de uma CPI do Banco Central, tendo em vista os graves danos que essas atitudes têm provocado à economia do país e à sociedade.

Diante disso, APELO a V. Exa., representante eleito(a) do povo, para pautar junto ao seu partido requerimento para abertura imediata de uma CPI para investigar as atitudes do Banco Central do Brasil que têm provocado graves lesões à economia do país e à sociedade, em especial as relacionadas à exagerada elevação da Selic sob falsa justificativa de “controle inflacionário”; a injustificada remuneração diária da sobra de caixa dos bancos e as questionáveis operações de swap.

Atenciosamente,

———————————————–

Caso queira enviar manualmente, anexe os endereços de e-mail dos senadores e senadoras abaixo e copie a mensagem acima!

sen.zenaidemaia@senado.leg.br; dep.arthurlira@camara.leg.br; sen.telmariomota@senado.leg.br; sen.paulorocha@senado.leg.br; sen.lasiermartins@senado.leg.br; sen.izalcilucas@senado.leg.br; sen.sorayathronicke@senado.leg.br; sen.darioberger@senado.leg.br; sen.alessandrovieira@senado.leg.br; sen.cidgomes@senado.leg.br; sen.randolferodrigues@senado.leg.br; sen.mailzagomes@senado.leg.br; sen.eduardobraga@senado.leg.br; sen.meciasdejesus@senado.leg.br; sen.wellingtonfagundes@senado.leg.br; sen.marcosrogerio@senado.leg.br; sen.carlosportinho@senado.leg.br; sen.zequinhamarinho@senado.leg.br; sen.renancalheiros@senado.leg.br; sen.jeanpaulprates@senado.leg.br; sen.flaviobolsonaro@senado.leg.br; sen.nelsinhotrad@senado.leg.br; sen.alvarodias@senado.leg.br; sen.rodrigopacheco@senado.leg.br; lid.psdb@camara.leg.br; lid.min@camara.leg.br; lid.cidadania@camara.leg.br; lid.pl@camara.leg.br; lid.pdt@camara.leg.br; lid.pp@camara.leg.br; lid.psd@camara.leg.br; lid.pv@camara.leg.br; lid.psb@camara.leg.br; lid.maioria@camara.leg.br; lid.uniaobrasil@camara.leg.br; lid.psc@camara.leg.br; lid.patriota@camara.leg.br; lid.pode@camara.leg.br; lid.mdb@camara.leg.br; lid.rede@camara.leg.br; lid.solidariedade@camara.leg.br; lid.ptb@camara.leg.br; lid.pt@camara.leg.br; lid.pcdob@camara.leg.br; lid.govcamara@camara.leg.br; lid.psol@camara.leg.br; lid.avante@camara.leg.br; lid.novo@camara.leg.br; lid.prb@camara.leg.br; lid.pros@camara.leg.br